casaconvivencia1[1]

Dentro da Casa Porto Seguro, um centro de convivência para moradores de rua, é possível ver uma cena incomum na cidade de São Paulo. São homens trabalhando na terra, cuidando de uma horta. Com enxada e rastelo em punho, eles plantam sementes de alimentos que vão comer no futuro.

casadeconvivencia2[1]

A casa fica nas proximidades do metrô Armênia, Zona Norte da cidade. O lugar é repleto de pequenas casas, cortiços, bares, galpões e mercearias. A ausência de carros e prédios dá um ar nostálgico e melancólico ao local.

casaconvivencia3[1]

Apesar de poderem comer os vegetais colhidos cultivados por ele mesmo, a horta tem outra função para as pessoas em situação de rua.

galeriahorta1-910x606[1]

O cultivo da terra as acalma e as mantêm ocupadas. O que não impede de planejarem o aumento da produção, que deve triplicar com a instalação de jardins suspensos para hortaliças e com a terra de compostagem que a casa vai receber do programa Composta São Paulo, da Prefeitura.

galeriahorta2-910x606[1]

Além da horta, a Caso Porto Seguro permite que os conviventes lavem suas roupas -em três dias por semana, devido ao racionamento de água-, façam higiene pessoal, tomem café da manhã e almocem.

galeriahorta3-800x1200[1]

Eles também podem participar de aulas de alfabetização, Ensino Fundamental e Médio, atividades de capoeira, xilogravura (que tem parceria com o Programa Extramuros da Pinacoteca), arte em mosaico com o lixo que é jogado da rua, yôga, entre outras. [Para mais informações, clique aqui e leia o conteúdo completo no Catraca Livre.]

galeriahorta4-799x1200[1]